Sexta-feira, 15 de Agosto de 2008

Paciência... paciência tem limites!

Sou por natureza amiga, compreensiva, presente, mas claro está com direito a viver a minha vida. Boa ou má, é minha. E, é justamente essa que eu tenho de viver.

Na vida dos outros não participo a menos que, de uma forma ou de outra, seja "convidada" a fazê-lo. Participo enquanto sou necessária e a menos que haja indicação do contrário, afasto-me quando vejo /sinto que já não precisam de mim.

 

Hoje, aconteceu uma coisa estranha. Alguém com quem me tenho cruzado algumas vezes no corredor das urgências do hospital (médico), esteve a conversar comigo, assim, do nada e, focou justamente este facto. Gostei de conversar com o senhor doutor. Foi a primeira vez que estabelecemos um diálogo fora do seu local de trabalho. Lá eu sou sempre uma cliente e ele o prestador de serviços. Mas, hoje a coisa foi ligeiramente diferente, fomos apenas o Zé e a Eusinha.

 

Dizia-me então o Zé, concedeu-me autorização para o tratar assim, que é notória a vontade, das pessoas em geral, de controlarem a vida alheia; que os amigos sentem uma doentia necessidade de serem donos da nossa vida e do nosso espaço, seja esse espaço o que for (físico, temporal, moral, familiar, etc).

 

- Quando cá cheguei tive de me impôr! As pessoas usavam e abusavam de mim como se eu fosse um fantoche e sem manifestarem o minimo interesse em respeitar o meu eu. Era frequentemente bombardeado por telefonemas fora de horas ou visitas tardias. Ninguém pareceia aperceber-se de que eu tinha vida própria. Até que um dia explodi.

 

Eu, apenas sorri e deixei-o continuar.

 

- Eram cerca das 2 horas da manhã, eu tinha saído de serviço à meia noite, ouço tocar à campaínha, vou abrir e eram dois casais amigos. Vinham beber um copo.

 

- Um copo?! A esta hora?! Desculpem lá mas paciência tem limites. Vão beber para outro lado. Eu preciso descansar.

 

- Conclusão: perdi supostos amigos, mas ganhei paz de espírito.

 

- Acho que a palavra foi passando... Até porque algumas vezes em tom de brincadeira, mas a sério, alguém dizia "paciência tem limites".

 

....

 

Agora, a alguma distância tempo, da conversa tida com o Zé, dou-lhe toda a razão. De uma maneira geral as pessoas são egoístas e julgam que o mundo gira à volta do seu umbigo. Não, não gira. E, muitas vezes por detrás de um sorriso ou da compreensão manisfeta num diálogo, existe muito sofrimento. É também verdade que quem mais sofreu ou sofre é que manifestamente se mostra mais disponível  ou compreensível para ouvir e ajudar.

 

 

sinto-me: em paz de espírito
escrito por Eusinha às 19:08

link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De cdgoncalves a 17 de Agosto de 2008 às 08:10
Tens toda a razão nas tuas palavras, a nossa sociedade moderna fundamenta-se no contrário, baseia-se no egoísmo, no narcisismo. Por isso há muito sofrimento. O egoísmo gera ódio, o ódio é a raiz da guerra. Ao contrário, a nossa mente deve voltar-se para a maioria, para fora. Pensar na maioria faz-nos crescer, como pessoa.
Pensar no mundo, na humanidade, sem ilusões, sem fantasia, mas começando pelos mais próximos - isto faz-nos crescer, aumenta a nossa capacidade de amar e de nos libertar a nós mesmos e aos outros.
Por isso devemos nos concentrar em pensar constantemente nos outros e não no nosso egoístico.

Beijinho
De Inês ;) a 18 de Agosto de 2008 às 15:05
Não poderia estar mais de acordo!!
Há pessoas que não sabem o que são limites!!
Nós damos a mão e eles querem logo o braço...
Às vezes temos de ser duros para poder ter algum sossego!!

Há pessoas que têm mesmo a mania que são as maiores e acham-se o centro do mundo! Mas felizmente ainda há boa gente, com capacidade de ajudar os outros!!

Beijocas
De lovenox a 18 de Agosto de 2008 às 16:46
Bem minha amiga, não sei se foi por o teu amigo ser médico, simplesmente lembrei-me do meu trabalho, quando não estou na clínica, passo a vida a receber telefonemas ás horas mais indecentes só porque não encontram qualquer coisa na farmácia, acho que vou tomar este exemplo por meu, ora se as caixas têm rótulos e os comprimidos nome.... acho que sim, um dia destes vou responder...ora bolas, paciência tem limites....

Comentar post

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds