Sábado, 27 de Setembro de 2008

Os crepes do pai da Catarina

A minha filha é convidada, com alguma frequência, para lanchar e passar o fim de semana, na casa de uma amiga. Como estão na mesma turma e, por insistência da mãe da menina em causa que, diz que a minha filha é um elemento de paz e tranquilidade entre as filhas, acabo sempre por deixar.

 

Quando a minha filha voltava para casa, havia sempre uma série de perguntas, da minha parte, claro, ás quais ela tinha de responder.

 

- Correu bem?

- Gostaste?

- O que comeste?

 

A esta última, invariavelmente ela respondia que, quer para o pequeno almoço, quer para o lanche, tinha comido CREPES.

 

- Quem fez os crepes?

- O pai da Catarina.

 

Ora, a história dos crepes já me estava a aborrecer. Apesar de ser considerada "cozinheira de mão cheia", eu e as massas não nos damos muito bem. Sempre foi assim. Pelo que, o pai da Catarina saber fazer crepes e eu não, irritava-me solenemente.

 

Propus-me então, a aprender a fazer crepes. Experimentei uma série de receitas e... nada. Ou a massa ficava muito líquida ou muito grossa. Não havia maneira de acertar com aquilo.

Que raiva!

 

A minha ira aumentava todas as vezes que me lembrava que o pai da Catarina sabia fazer crepes.

 

Vieram as férias e eu a pouco e pouco fui esquecendo os crepes e frustração de não acertar com a massa.

 

Um dia, em que fui às compras para a casa, convidei a minha filha a acompanhar-me, Ela aceitou e lá fomos nós ao hipermercado. Quando estavamos na zona dos congelados, a milha filha dá um pequeno grito de alegria. Olho para ela e vejo-a com uma caixa quadrada na mão e um sorriso vitorioso no rosto.

 

- Encontrei! Encontrei, mãe!

- O que foi que encontraste?

- Os crepes que o pai da Catarina faz!

 

Fiquei "pi-ursa".

 

- Então, os crepes que o pai da Catarina faz, são crepes congelados?

- Sim, são. É só preciso pô-los 90 segundos no microondas.

 

Desatei a rir às gargalhadas, só de lembrar-me das minhas tristes figuras a tentar fazer crepes e da raiva que senti por não lhe dar com o jeito.

 

Moral da história: não devemos agir sob o efeito da raiva. Teria evitado raiva, frustração e dispêndio de dinheiro, se tivesse colocado uma simples questão à minha filha:

 

- Como é que o pai da Catarina faz os crepes?

 

 

sinto-me: palavras para quê?
escrito por Eusinha às 11:10

link do post | comentar | favorito
|
11 comentários:
De Inês ;) a 27 de Setembro de 2008 às 12:30
Eh eh eh eh eh!!
Afinal era bem simples!!
Mas olha.. Eu sei mesmo fazer crepes!! loool
Não sei fazer quase nada na cozinha, mas crepes por acaso sei!!! E saem sempre bem!!! (tem segredo!!)

Mas agir com ira.. Dá sempre mau resultado!!

Beijinho
De Eusinha a 27 de Setembro de 2008 às 18:23
Pois... era realmente muito simples
Eheheheheh!!!
O que me vale é que me divirto com estas situações.
Fica bem.
Beijinhos
De Franciely a 27 de Setembro de 2008 às 17:14
Estou visitando seu blog pela primeira vez...e duzer q é mti fofo...Abraços e fique com Deus.
De Eusinha a 27 de Setembro de 2008 às 18:30
Olá
Agradeço a visita e o comentário. Obrigada!
Já fui espreitar o seu cantinho, também. Mas como o meu inglês é um pouco "fraquito", vou precisar fazer uma visita mais demorada.
Volte sempre que quiser, é sempre bem-vindo quem vier por bem.
Beijinho
De Fran a 27 de Setembro de 2008 às 19:38
Ola querida...brigada pelo e-mail..esse blog eu geralmente posto em ingles my tenho outro que é só em portuga...rsrss...Bjoinhus!
De Eusinha a 29 de Setembro de 2008 às 21:46
Olá
Já andei a espreitar o teu outro cantinho.
Um dia destes volto com mais tempo.
Beijinho
De jeune fille aux cheveux blancs a 28 de Setembro de 2008 às 16:37
Olá, é a primeira vez no blog, e devo dizer que partilhei essa gargalhada final contigo.
O pai da Catarina é que é esperto.

beijinhos.
De Eusinha a 29 de Setembro de 2008 às 21:49
Olá
Sê bem-vinda a este meu cantinho.
Efectivamente o pai da Catarina é esperto. Mas agora igualei-me: já tenho no congelador crepes, sempre prontos a serem servidos, eheheheh.
Beijinhos
De Just Moments a 30 de Setembro de 2008 às 14:41
Oláaaaaaaaaa

Como já te disse!!Viva o pai da Catarina!!
Obrigada..estavam uma delicia!! eheh

Beijoca Amigona
De David Silva a 30 de Setembro de 2008 às 22:41
Eu também quero a receita do pai da Catarina! LOLOL
Na brinca, provavelmente aqui não há a mesma marca apenas para experimentar!
Melhor mesmo e com muita paciência é eu fazer os meus, colocar uma bolinha de gelado a derrreter-se toda e regar com chocolate quente ou mel!
Fica bem, SEMPRE bem!
"Lamechas"
De Maria Araújo a 2 de Outubro de 2008 às 12:02
Olá. Adorei ler este post. E, quando cheguei a meio, deduzi de imediato que os crepes seriam congelados(embora haja quem os faça muito bem, como um sobrinho que tenho que os faz na perfeição).
Mas Eusinha, vieram-me as lágrimas aos olhos , porque o modo como contou a sua história foi fantástica. A preocupação de agradar à filha, o nostrar a sua capacidade de também saber fazer foi com muito carinho.
Vou dizer-lhe algo. Eu também descobri os crepes congelados há pouco tempo, quando fui jantar a casa do namorado da minha irmã. Dias depois, andei pelo Pingo Doce, não querendo fazer publicidade, e encontrei-os a um preço bastante mais razoável, que no hipermercado (o dobro).
Um abraço e parabéns pelo post.
Os filhos são a nossa razão de viver...e eu não os tenho.

Comentar post

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds