Sexta-feira, 16 de Abril de 2010

A noite

A noite vestiu-se de negro. Despediu-se da chuva e alegrou-se. Salpicou a saia com a luz das estrelas, dançou à volta da lua e, sentiu-se feliz.

 

Tão feliz que nem percebeu a inveja estampada nos rostos das mulheres que a olhavam. Ou percebeu e não lhe atribuiu importância.

 

Olhou-se no mar e viu a sua bela imagem refletida. Percebeu quão grande era a sua auto-estima. Entendeu, por fim, que era grande, imensa, diferente. Com uma beleza muito própria.

 

Rodopiou e escondeu-se atrás da montanha. Preparou-se para descansar e, deixou que o dia apagasse os vestígios da sua presença.

 

Logo, logo, voltaria, invencível...

 

Recostou-se e adormeceu... e sonhou... e foi feliz, muito feliz!

sinto-me:
escrito por Eusinha às 23:08

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds