Domingo, 20 de Novembro de 2011

Breves

Hoje, senti saudades de aqui vir.

 

Os últimos meses têm sido de luta, com algumas partidas, umas definitivas, outras, não. Reservei-me ao luto necessário e abri os braços ao que de novo a vida tinha para me dar. Não foi fácil... Não é fácil...

 

O sorriso não é o mesmo e, sinto não voltará a sê-lo.

 

O meu quintal encheu-se de monda e estou a ver-me da "cor dos gatos" (nunca percebi muito bem o porquê da "cor dos gatos", mas enfim), para pô-lo em condições de ser cultivado. A relva à volta da casa cresceu de tal ordem, que quase me perdia no meio dela, virou mato. Resolvi a questão a custo  zero: o meu vizinho emprestou-me uma cabra, que funciona como corta-relva, um corta-relva de quatro patas. Daquilo que ela não consegue dar conta, o vizinho corta com a máquina, uma vez por mês. Nada mal!

 

Tenho continuado a escrever. Escrevo textos por encomenda, que troco, não por dinheiro, mas por algo que necessite. O retorno pode não ser imediato, mas chega, mais cedo ou mais tarde, na forma de algo que eu precise e na altura certa.

 

Neste início de Outono, tenho-me apercebido da vontade de partilha, que viver no campo, nos trás. Pouco tenho para partilhar, mas em pequenos gestos tenho recebido um pouco daquilo que a terra dá: castanhas, abóboras, batata-doce, cebolas, tomates-do-brasil, limões, entre outros géneros.

 

Voltei a mudar o horário de trabalho. Não será por muito tempo. Mas, enquanto durar, permiti-me fazer uma "vaquinha" com uma vizinha, na utilização de viatura, na ida e volta, para o trabalho. Alternamos à semana. Uma semana levo eu o meu carro, na seguinte leva ela.

 

.........

 

Amigos, que achei terem sido no passado, têm surgido do nada, em lembranças, fotos, e histórias, indirectamente, mas a recordar-me que existiram. Tento preservar as memórias boas...

 

Está a chover novamente. Tenho coisas para fazer, mas não me apetece. O tempo cinzento e triste, empurra-me para o sofá e para o quentinho da lareira. Vou reagir, mas leva tempo... mais do que o desejado.

 

Um dia estarei de volta! Ou não!

 

Nota: Se por acaso, alguém ainda visitar este espaço, receba um beijo e um sorriso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 12:21

link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Rui Oliveira a 20 de Novembro de 2011 às 23:05
Estarás de volta sim!
E que essas palavras que escreves sejam libertadoras para algo melhor :)

Que sejam alegres as próximas palavras, torço por isso!

Grande beijinho!


E muita força!
De Eusinha a 26 de Novembro de 2011 às 09:48
Obrigada! Espero conseguir ultrapassar... Não está a ser fácil...
Beijinhos e sorrisos
De Inês ;) a 29 de Novembro de 2011 às 16:10
xD Hum... Espero que isto seja mesmo um regresso!!!!!


Um beijinho grande para ti!!!

De Eusinha a 30 de Novembro de 2011 às 20:50
Eu também... Eu também!

Beijinhos
De Maria Araújo a 19 de Dezembro de 2011 às 21:58
O tempo e a vontade em (re)agir ecarregam-se de dar vida à nossa vida.~
Beijinho

Comentar post

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds