Segunda-feira, 11 de Maio de 2015

Apetece-me dizer um palavrão

Uma mulher acorda bem disposta. O dia tem uma daquelas temperaturas deliciosas que nos faz pensar no verão, nas férias  ... 

Toca o telefone, atendemos com um sorriso nos lábio e energia na voz. O efeito dura pouco. Do outro lado, a nossa interlocutora tem para nos dar uma notícia triste,

A J., de apenas 50 anos, está internada, em fase terminal, induziram-lhe o coma... Aguarda-se o pior...

A revolta cresce. É tão nova. Tão cheia de vida. Dona de uma contagiante alegria de viver.

A mim, bem, a mim só me apetece dizer... "F*&@-+#"!

tags: , ,
escrito por Eusinha às 17:02

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Novembro de 2010

...

 

Ultimamente as coisas acontecem de uma forma negativamente surpreendente. No entanto, quero acreditar que sexta-feira, vou tomar café no meu sítio de eleição: o Café Santa Cruz, em Coimbra!

 

Xo, xo forças negativas...

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 19:33

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 25 de Setembro de 2010

Hoje é o dia...

Se há dias, em que simplesmente, deveríamos ser surdos-mudos e transparentes, hoje é esse dia!

sinto-me:
escrito por Eusinha às 14:39

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Setembro de 2010

Monotonia?! Cá em casa não existe

Estava eu, a teclar com uma amiga, quando fui supreendida pelo meu filho que me chamava (quase) aos berros. Corri para ver o que se passava e, não consegui conter as gargalhadas.

 

Em frente à garagem, muito bem alinhadas, estavam cinco bicicletas. Duas dos meus filhotes e as restantes dos amigos. Um pouco mais ao lado, um carrinho de jardineiro com algo que não consegui identificar de imediato mas, que após uma segunda olhadela, descobri ser uma piscina plástica. Piscina essa que era de um dos miudos que estava no grupo.

 

Bem, eu sei que o verão aqui por casa, não é um verão dito normal mas, este ano os miúdos ultrapassaram os feitos em anos anteriores.

 

A tenda das vizinhas, foi montada e desmontada (quando houve por estes lados ventos um pouco mais fortes do que o habitual e chuva intensa) mas, já voltou a ser montada. As bicicletas são quase diariamente "estacionadas" na garagem. Jogos de volei às cinco da matina, também já aconteceram. A "pista" de ciclismo, foi delineada à volta da casa, com direito a obstáculos e rampas para saltos.

 

Não contentes com tudo isso, hoje trouxeram uma piscina. Já a encheram de ar, detectaram um furo que entretanto já foi reparado e, amanhã vão falar com um vizinho para vir encher a piscina de água.

 

Até ao início das aulas será sempre assim... Cada dia uma aventura nova.

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 19:33

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Julho de 2010

Insuflador de ego

Já não o via há alguns anos. Quantos? Não sei. Há alguns. Encontrei-o na Madeira, num fim de semana que lá passei.

 

Estava tão distraída a admirar a paisagem que, não reparei nos movimentos à minha volta.

 

Subitamente, sou abraçada e sinto-me suspensa entre dois braços fortes. Gargalhadas, fizeram-se ouvir à minha volta. O meu marido ria a bom rir, com o meu ar entre atrapalhada e surpreendida. O meu amigo C., também.

 

Refeita da surpresa, o abraço foi mútuo, forte, franco e com o calor de muitos anos de amizade. Foi óptimo rever um amigo de há quase 25 anos.

 

Agora, mantemo-nos em contacto. E, ontem, voltamos atrás no tempo e, regressamos à altura em que nos conhecemos.

 

Fiquei agradavelmente surpreendida, ao constatar que o meu querido amigo C. ainda se recordava de muitas da nossas conversas.

 

Mas, mais supreendida fiquei quando, e pasmem-se que também pasmei, o C. afirmou que sempre me achara uma mulher muito bonita. Quem, a mim?! A mim?!

 

Não sou propriamente um monstro mas, daí a ser uma mulher muito bonita, vai uma distância enorme...

 

No entanto, devo confessar que o meu ego, um tanto ao quanto diminuído neste últimos tempos, sentiu-se insuflar e  crescerrrrrrrrr, CRESCERRRRRRRRRRRRRRRRRR!

 

Obrigada C., meu querido insuflador de egos. 

 

 

 

 

escrito por Eusinha às 18:52

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 18 de Abril de 2010

...

Pois é! Hoje, precisava ser como a preta: ter dois corações...

 

Fico sempre dividida quando, os clubes pelos quais torço, se defrontam. E, logo hoje, em que chove a potes, venta que se farta, e em que ne sinto irritada com tudo, sim, logo hoje a Académica tinha de receber o Benfica???

 

Ah! E podem parar com as sms... Mas, podem continuar a rir-se à minha custa.

 

A última sms que recebi dizia o seguinte: "Ainda tens unhas??? É que a tua Académica vai jogar com o nosso Benfica... Lol. Bjs"

 

Com amigos como estes, quem precisa de inimigos?

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 18:20

link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Domingo, 21 de Março de 2010

Dia Mundial da Poesia

Hoje, é o Dia Mundial da Poesia.

 

E, porque a poesia faz parte da minha vida (quase como se de um alimento se tratasse), deixo aqui este poema, que dedico a todos quantos continuam a visitar este meu cantinho, continuam a deixar comentários e a lembrar-se de mim... Obrigada,

 

Coisas, Pequenas Coisas

Fazer das coisas fracas um poema.

Uma árvore está quieta,
murcha, desprezada.
Mas se o poeta a levanta pelos cabelos
e lhe sopra os dedos,
ela volta a empertigar-se, renovada.
E tu, que não sabias o segredo,
perdes a vaidade.
Fora de ti há o mundo
e nele há tudo
que em ti não cabe.

Homem, até o barro tem poesia!
Olha as coisas com humildade. 

                                           Fernando Namora, in "Mar de Sargaços"

sinto-me: a precisar de um café FORTE
escrito por Eusinha às 10:40

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 28 de Fevereiro de 2010

...

Apesar de Lisboa não ser a minha cidade de eleição, é uma cidade onde me sinto bem. Aqui tenho vivenciado aspectos positivos da minha vida.

 

Após uma tarde de sábado cinco estrelas, desde almoço com uma grande amiga, algumas compras e ida ao cinema (fomos ver Nas nuvens), rumei até ao Bairro Alto para e ir encontrar com o Pedro, a companheira dele e alguns amigos. Surpresa das surpresas, encontro o Zeca, músico e amigo com quem já não estava há algum tempo.

 

Foi bom! Muito bom mesmo. 

 

A noite traz-me sempre grandes surpresas.

 

Gostei das pessoas que conheci esta noite: um poeta, uma cantora, um actor, uma pintora e uma arquitecta.

 

Cada vez mais, sinto que o meu lugar é entre todos os que de alguma forma trabalham para que a cultura deste país melhore.

 

 

Agora... agora vou dormir. Convenhamos de que já está mais do que na hora....

 

A todos obrigada.

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 06:45

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

Por vezes...

... sinto-me pequena, perante a grandeza daqueles que muito sabem e, nem por isso se acham superiores. Com eles, humildemente, tenho muito a aprender.

sinto-me: com sono
escrito por Eusinha às 23:20

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

Recuando no tempo... desespero actual

Dia 1 de Janeiro de 1980. Quinze horas e quarenta minutos.

 

Dia de Ano Novo. O almoço foi animado. Lá em casa era sempre assim. Planeando o dia seguinte, cada um de nós foi desenvolver tarefas pendentes e necessárias. Nós as manas, estamos juntas. Os pais estavam no outro lado da casa.

 

Entre risos, cambalhotas, e gargalhadas, surgiu um ruído estranho. Ruído que passou a estrondo. A casa, sacudia e retorcia. Os objectos caiam de todos os lados. Da rua, chegavam gritos. Peguei na minha irmã mais nova ao colo e abracei a outra. Tentamos chegar à porta da rua. Encontramos os meus pais que vinham em nosso auxílio. Dirigimo-nos para a rua. A porta não abria. Os gritos continuavam a chegar e o barulho de pedras a rolar e paredes a cair.

 

Conseguimos sair. O caos estava ali mesmo à nossa frente. A igreja que ficava mesmo em frente, estava parcialmente destruída. Ao olharmos para trás, verificamos que aquela que tinha sido a "nossa" casa, e de onde tínhamos acabado de sair, era um monte de escombros...

 

Nós, a família de cinco pessoas, estava bem. Sem nada. Mas juntos.

 

Perante a tragédia de Haiti, senti-me paralisar. Não consegui raciocinar de uma forma coerente. Fiquei à beira do desespero. De um desespero antigo. De um desespero recente. O que fazer?

 

 

P.S. Acabei de receber uma chamada telefónica. Alguém que conta comigo para ajudar a angariar fundos. Mãos à obra! Há quem precise de mim, de nós!

 

 

 

 

 

sinto-me: a pôr as ideias no papel
escrito por Eusinha às 15:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Apetece-me dizer um palav...

. ...

. Hoje é o dia...

. Monotonia?! Cá em casa nã...

. Insuflador de ego

. ...

. Dia Mundial da Poesia

. ...

. Por vezes...

. Recuando no tempo... dese...

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds