Sábado, 21 de Novembro de 2009

Acordar

 

Fazia frio. Muito frio. De sobretudo, cachecol e luvas, quis, porque quis, sentar-me na esplanada. Nas docas gosto muito mais das esplanadas. Um chocolate quente (a ferver) e os patos a nadarem, indiferentes às águas geladas do Mondego. Quanta paz, quanta tranquilidade... Momento tranquilo e de encontro comigo e com o "meu" rio.

 

Acordo. A chuva bate forte nas persianas. Não há patos no rio. Nem sequer há rio. Há chuva. Muita chuva. É o acordar, numa manhã de sábado, com a sensação de que se está no local errado.

 

Coimbra! Quanta saudade...

sinto-me:
escrito por Eusinha às 12:14

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 9 de Maio de 2009

Acordei bem disposta

Nem queria acreditar! Acordar às dez horas?! Já nem me consigo lembrar-me há quanto tempo isso aconteceu, pela última vez..

 

Não acordei de duas em duas horas, como habitualmente. Dormi seis horas seguidinhas, acordei bebi àgua, voltei a adormecer e acordei às dez horas.

 

E, até sonhei. Um sonho parvo que me deixou a rir às gargalhadas.

 

Sonhei que estava com um grupo de pessoas, das quais não me recordo do rosto, e que disse uma frase estúpida do tipo:

 

- O segundo foi o oitavo!

 

Pode? Que estúpidez.

 

Gargalhada geral.

 

Depois sonhei que as pessoas, quando se cruzavam na rua, ao invés do habitual "Bom dia!", diziam:

 

- Multibanco!

- Multibanco!

 

Aí, fui eu que acordei às gargalhadas.

 

Resultado? Estou bem disposta. Estou mesmo bem dsposta!

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 10:05

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Maio de 2008

Sonho na Figueira da Foz

Não me recordo de ter atravessado a estrada, nem de ter descido os degraus, nem tão pouco de ter sentido a areia fria sob os meus pés descalços, mas o que é certo é que estava ali, sentada, na praia da Figueira da Foz, contigo ao meu lado, a receber os primeiros raios de sol.

 

Ao meu lado esquerdo estão uma sandálias, minhas, mas que já não uso há cerca de vinte anos. Ao meu lado direito estás tu.

 

Olhas-me com aquele olhar entre doce e quente, que eu tanto gosto. Abraças-me forte e, numa voz rouca, sussurras-me ao ouvido: AMO-TE!

 

Não te respondo. Deixo-me ficar assim, quieta, a saborear o momento. Perfeito, diria eu. O sol dourado, o mar, tu e eu...

 

Também te amo, respondi. Abraças-me de novo e ficamos em silêncio. Há momentos, como este, em que o silêncio em bem-vindo .

 

Ao longe um ruído agudo, quebra a magia do momento. Maldito despertador. Estendo a mão e silencio-o.

 

Ergo os braços no ar e abraço o vazio... Foste a primeira pessoa que abracei esta manhã.

 

 

escrito por Eusinha às 07:47

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 10 de Abril de 2007

As cores do futuro

Desci a escada da casa da quinta, lentamente. Senti o leve roçar da pequena cauda do meu vestido, em cada degrau.

Intuía que virias. Quando? Não sabia.

Mas sentia-o. Consegues perceber?

Prendia o meu olhar, lá longe, na curva da estrada de terra batida.

Tu não aparecias.

Percebi que a transpiração das mãos aumentava. Havia por todo o meu corpo um leve tremor. Dentro do peito, o coração aumentava e diminuía de tamanho a um ritmo descontrolado.

Não conseguia esconder a angústia. E tu não aparecias...

 

Eis que surge uma sombra na curva da estrada.

Ao aproximar-se consigo reconhecer um belo cavalo, mas não distingo o cavaleiro.

Talvez fosse o primo Zé. A mãe tinha dito que ele viria.

Mas não, não podia ser o primo Zé. O meu coração não bateria assim...

 

Agora sim, reconheço-te o porte. És tu! Finalmente.

Paraste o cavalo e desmontaste com a elegância que te é tão peculiar. Olhaste-me e eu senti o tempo parar. Não era preciso mais nada. O meu dia estava completo.

Roçaste, no meu rosto, os teu dedos longos, numa leve carícia. Olhaste em volta, soltaste a fita que prendia o meu chapéu, por baixo do meu queixo e inclinaste-te para mim. Não consigo mover-me, apenas fico a olhar-te, assim, tão próximo de mim. Acho que já nem respiro. Sinto um frio percorrer-me as costas, e tu beijaste-me...

 

... acho que desmaiei! Tudo à volta, rodou. O chão faltou e tu envolveste-me num forte abraço.

Com um rubor abrasador na face, voltei o meu rosto para ti. Timidamente e quase inaudível, pedi que voltasses a beijar-me. Sorriste, beijaste-me e eu senti-te e tu sentiste-me.

 

O nosso olhar, depois do beijo, revelou tudo o que as nossas bocas calaram.

Entrelaçamos as nossas mãos e caminhamos lado a lado, em silêncio, com a certeza feliz que o futuro se tinha desenhado a cores naquele momento.

sinto-me:
tags: , ,
escrito por Eusinha às 13:37

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Março de 2007

Abraço

Entraste no meu sonho

Devagar

Olhaste-me

Sorriste

Mergulhei no teu olhar

Qual abismo negro e profundo

Senti nos meus lábios,

a brisa doce e terna

do teu beijo.

Abraçaste-me

Abraço quente e forte.

Acordei!

Ao meu lado, a cama vazia

A envolver-me não estavam os teus braços

Só o frio gélido de uma noite de inverno.

Fechei os olhos...

Não quero sentir a realidade desta noite fria

Quero, prefiro, sentir o utópico prazer

Quente e forte do teu abraço.

sinto-me: Bem
escrito por Eusinha às 10:44

link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Sábado, 29 de Abril de 2006

Pensamento e sonho

É fim de semana. Tal não invalidou que acordasse à hora habitual: 6 horas.

Ao meu lado a cama está vazia e fria.

O meu pensamento, como sempre, voa até ti.

Algures, no teu quarto, na tua cama, tu dormes. A envolver-te estão dois braços de mulher. Não sei o que sinto. Se calhar... nada. Ela ocupa o lugar que é seu por direito.

Viro-me e abraço a almofada, como se fosse o teu corpo.

Fecho os olhos e solto livre o pensamento.

Deito suavemente a minha cabeça no teu peito. Abraço-me e aninho-me a ti. Enrosco-me ainda mais...

Abres os olhos e eu beijo-te. Primeiro os olhos, depois os lábios. Então recebo de uma forma generosa o calor da tua língua.

E, recebo mais, e dou-me por completo ao prazer de te ter... Nem que seja apenas nos meus sonhos.

sinto-me: amada?
escrito por Eusinha às 08:57

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Acordar

. Acordei bem disposta

. Sonho na Figueira da Foz

. As cores do futuro

. Abraço

. Pensamento e sonho

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds