4 comentários:
De Manuel José a 1 de Junho de 2007 às 15:17
Olá Eusinha.
O Amor está em nós, o Amor está dentro de nós.
Só temos que deixar entrar em nós o aroma suave do Amor, a ternura delicada do Amor, a subtileza das delícias do Amor.
Sim quantas vezes "eu quiz um beijo teu e tu simplesmente me ignoraste", "quantas vezes eu quiz apenas um abraço teu e tu simplesmente me ignoraste", quantas vezes te olhava deitada na cama deliciando-me com o teu rosto bregeiro e tu simplesmente me ignoraste", e quantas vezes eu te quiz amar e tu simplesmente me dizias que estavas ocupada, e quantas vezes ...
O tempo esse maravilhoso tempo que deixámos para trás perdeu-se e já não volta. Ficam apenas as recordações daquilo que não fizemos e o que poderíamos ter feito, mas esse tempo desvaneceu-se. Agora é com desalento que procuramos o que não temos e buscamos nas angústias o prazer de ter aquilo que mais desejamos, que é o Amor. Agora, procuramos no movimento à nossa volta encontrar ou perceber os sinais do tempo que nos façam felizes, buscado a doçura de um Amor que queremos encontar e ter na nossa cabeceira, com o calor e o desejo de ser um só.
De Eusinha a 2 de Junho de 2007 às 09:48
Bonitas palavras, meu amigo, carregadas de emoção e sentimento, até de uma certa mágoa. O tempo passa e nós não nos apercebemos que no corre corre diário, ficam para trás fragmentos importantes da nossa vida, vividos ou não...
Um beijinho e bom fim de semana
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Bonitas palavras, meu amigo, carregadas de emoção e sentimento, até de uma certa mágoa. O tempo passa e nós não nos apercebemos que no corre corre diário, ficam para trás fragmentos importantes da nossa vida, vividos ou não... <BR>Um beijinho e bom fim de semana <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Eusinha</A>
De Manuel José a 3 de Junho de 2007 às 17:25
Tens razão, as minhas palavras carregam uma certa mágoa. Mágoa por não ter conseguido fazer aquilo que imaginei, mágoa por sentir que o mundo desaba em cima de mim e me sinto impotente para o segurar, mágoa por querer amar com prazer e ver-me a amar com nostalgia. Mágoa ...
De Eusinha a 3 de Junho de 2007 às 20:57
Não tens de carregar essa mágoa sozinho. Os amigos, embora virtuais, exitem para alguma coisa. Estou disposta a ouvir-te ou a ler-te se preferires.
O fardo fica sempre mais leve quando divido. Pensa nisso...

Comentar post