Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008

O milagre e o vinagre

Ultimamente, tenho-me dado conta, do quanto as pessoas estão insatisfeitas face aos seus relacionamentos.

 

Existe um descontentamento, um azedume, um desconforto, uma falta de amor próprio, um anular, um acomodar forçado, e um constante adiar...

 

Questiono-me muitas vezes, se será o acreditar numa alteração favorável, que fará com que se vá ficando... ficando.... ficando... preso a pessoas, situações e ilusões.

 

Mesmo não acreditando que tenha sido este o mote para que António Aleixo, escrevesse a quadra que abaixo transcrevo, pareceu-me adequada.

 

                                                             Vinho que vai pra vinagre

                                                             Não retrocede o caminho

                                                             Só por obra de milagre

                                                             Pode de novo ser vinho.

 

 

 

Estaremos, nós,  à espera de um milagre? Acreditaremos, ainda que de uma forma subtil , que depois de algumas agressões (independentemente do tipo) possa haver um retorno? Que as pessoas voltarão a ser o que eram antes? Que os relacionamentos irão melhorar?

 

Estaremos à espera de ouvir, da mesma boca que disse "ODEIO-TE!", um doce e maravilhoso "AMO-TE!"?

sinto-me: à procura de respostas
escrito por Eusinha às 18:46

link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Just Moments a 28 de Janeiro de 2008 às 22:16
Lindo..

Enquanto ha uma porta aberta haverá sempre esperança..
será o caminho certo?? não sei!!
Só depois de o percorrer..

Eu estou..porque se perdemos a esperança o que resta??
Mas será que podemos perder o Amor - próprio??

Até onde podemos ir??

Beijinhos e Obrigada..
Fez-me pensar..
De Eusinha a 28 de Janeiro de 2008 às 23:36
Olá
Depois de ler o que escrevi, também reflecti, e muito...
Se tê-lo escrito, servir para fazer alguém pensar, já terá valido a pena.

Beijinho
De Longedetudo a 7 de Fevereiro de 2008 às 01:36
É possível ouvirmos da mesma boca os nomes desses 2 sentimentos distintos.Isso até pode acontecer! Até porque as vezes dizemos o que não queremos, e ou não sentimos.
Mas concordo que é muito complicado, ou diria mesmo, impossível, as pessoas e os relacionamentos voltarem ao que eram depois de alguma(s) tal(ais) agressões de vária ordem. "Vinho que vai para vinagre..."

É só a minha opinião, ok? :)
De Eusinha a 9 de Fevereiro de 2008 às 14:40
Olá
Obrigada pelo teu comentário. As opiniões são senpre uma mais valia para para que se faça luz.
No seguimento das nossas reflexões/opiniões, não achas que deveriamos todos, sem excepção medir o efeito dos nossos actos e das nossas palavras? Talvez se conseguisse evitar alguma dor...
Fica bem e, volta sempre!

Comentar post

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds