Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Literamente aos pés de um "Gulliver"

A cidade começa a intensificar o trânsito matinal, por volta das oito horas e trinta minutos.

 

É, também, por volta dessa hora, que depois de deixar os meus filhotes nas respectivas escolas, e deixar o jipe no parque de estacionamento, vou habitualmente ao café.

 

Como estava a chover, não me apeteceu iniciar o dia a secar roupa no corpo, entre no mini-autocarro e dirigi-me ao centro da cidade.

 

Ao atravessar a rua na passadeira, mesmo em frente à porta do café , medi mal a distância e bati no passeio com o bico da bota (sim, Tininha , as que comprei quando estive contigo em Coimbra...).

 

Caí, literalmente aos pés de um "Gulliver". À minha frente estavam uns pés que, supus, calçariam um mísero 48. Eu, no chão, sem conseguir parar de rir, imaginando-me uma lilliputiana ", com uma dor enorme no joelho esquerdo, que havia batido na beira do passeio, a ver as minhas colegas de café, entre divertidas e admiradas, mantendo-se à distância, com duas mãos enormes estendidas para me ajudarem a levantar e, sem me conseguir mexer, vi-me subitamente erguida nos braços do dito gigante e sendo transportada para o café.

 

Fui delicadamente instalada numa das cadeiras perto da porta. Após me ter questionado como me sentia, o gigante dirigiu-se ao balcão , pediu qualquer coisa que eu não consegui perceber, fez uma chamada pelo telemóvel, voltou a falar com o empregado do café e veio sentar-se ao meu lado.

 

Não levou muito tempo, o empregado surgiu com um saco com gelo, para o meu joelho e um pequeno almoço para dois.

 

Quando, julgava eu, não haver lugar a mais surpresas matinais, dirigiu-se à nossa mesa o resultado da chamada telefónica: um massagista, com a mala e tudo...

 

Recebi, após um exame ao joelho, umas massagens e alguns conselhos.

 

Fiquei a saber que o gigante era jogador de basquetebol, estava na cidade para efectuar um jogo naquele dia à tarde. Media 2,06 metros e calçava 49. Coisa pouca. Ainda menos significativa, se considerarmos que meço 1,45 metros e calço 33...

 

Cheguei atrasada ao serviço. Claro.

 

Durante todo o dia e ainda em alguns dias seguintes, fui brindada pelas gargalhas e sorrisos da minhas companheiras de café. Gargalhadas que se juntaram às minhas...

 

Como diz uma Amiga: Há coisas que só te acontecem a ti, Eusinha !  E, não é mesmo?

 

 

sinto-me: super-bem
música: kkr uma, desde k de flauta por Andrea Bartelucci
escrito por Eusinha às 13:40

link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Just Moments a 11 de Fevereiro de 2008 às 13:35
Nem Mais..

Há coisas que só te acontecem a ti!!



Beijinhos Amiga
De lovenox a 11 de Fevereiro de 2008 às 16:33
Minha amiga haja muitos desses!!!!!! atencioso.

Comentar post

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds