Quinta-feira, 7 de Abril de 2011

Analogia para hoje...

Os sucessivos Governos Portugueses e, não descarto nenhum deles, provocaram no País um estrago em tudo semelhante ao das térmitas na madeira seca... Destruíram o âmago. O que se via de fora, nada mais era do que uma fina película que virou pó quando lhe tocaram de perto.

 

A acção das térmitas não tem resultado imediato, mas sim a médio/longo prazo, mas os estragos são irreversíveis se não se agir com determinação e atempadamente...

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 22:01

link do post | comentar | favorito
Domingo, 27 de Março de 2011

Quero

Quero despir esta pele e, vestir outra

Mais leve, mais alegre, mais feliz.

Quero deambular sorridente

Por entre as àrvores

E sorrir como resposta

Ao chilrear da passarada.

 

Quero cheirar a rosa que desabrocha ao meu lado

Sentir a Primavera nos cabelos.

Quero sentir-me viva e vivida

Por cada dia passado, por hoje,

E pelo futuro viajar, sem medo,

Aqui e agora.

 

Quero apenas a liberdade de ser.

De estar, de sentir.

Quero deixar-te lá bem atrás

Onde ficam as memórias

A esquecer.

 

Quero!

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
tags: , , ,
escrito por Eusinha às 14:14

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 18 de Março de 2011

...

E a vida dá voltas. E, de repente, uma dessas voltas foi/é de 180º. E, acordamos e o nosso norte mudou de posição. E, questionamos amigos, familía, trabalho, atitudes, vontades, desejos, sentimentos, a vida, não necessariamente por esta ordem.

 

E sentamo-nos à beira Tejo e queremos acreditar que é o Mondego (como se isso fosse possível). E percorremos Lisboa, bebemos uma ginginha com a sensação que não era ali que queríamos estar. E entramos na igreja de S. Domingos e sentimos que onde deveríamos entrar na igreja de Santa Cruz.

 

E subimos o Chiado, e sentimos saudades da Sara Maria. E, apenas por nos dá na gana, descemos umas certas escadinhas e entramos num sítio simpático, pedimos um chá e deixamos que lágrimas de um choro mudo, rolem pela face.

 

E, então, surge a vontade de amanhã, participar da manifestação. E, temos certeza de que o vamos fazer, cumprindo, assim, uma vontade, minha e não só. Devo-o a alguém e vou cumpri-la.

 

 

 

P.S. A ausência tem uma filha

       Que se chama Saudade

       Eu sustento mãe e filha

       Bem contra a minha vontade

 

       (Saudade, Cancioneiro Tradicional Açoriano)

escrito por Eusinha às 23:50

link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Novembro de 2010

Cântico Negro, José Régio

"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

 

 

 

P.S. É exactamente isto: "Não sei por onde vou, não sei para onde vou, SEI QUE NÃO VOU POR AÍ!

sinto-me:
tags: , , ,
escrito por Eusinha às 14:25

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Falta-me...

Há alturas na vida em que as circunstâncias nos obrigam a parar e pensar. Esta foi a altura.

 

A troca de sms, noite dentro, com o Pedro e a conversa contigo, levaram-me à conclusão, triste, que as coisas não estão bem.

 

Enquanto fiz a pé, o percurso entre Telheiras e o Colombo, fui-me questionando. Cheguei à conclusão que por algum motivo que me escapa, não sou feliz. Alturas houve em que achei e senti, que a felicidade era o meu estado de espírito habitual. Actualmente isso não acontece.

 

Revisitando mentalmente os últimos anos, não consegui perceber onde ou quando deixei a felicidade escapar.

 

Penso que se prende com um certo comudismo a que me votei e que não me é característico.

 

Descobri que não me sinto realizada.

 

A minha vida, num passado muito recente, limita-se a existir. O que é pouco. Para mim é pouco. Preciso existir porque... E, não esncontro os "porque"...

 

Faltam-me as cores quentes e vibrantes e a luz e o calor do sol.

 

Faltam-me os objectivos e os planos.

 

Falta-me saber para onde quero ir.

 

Falta-me aquele abanão, aquele empurrão.

 

Faltam-me os abraços dos meus filhos e de outras pessoas que amo.

 

Falta-me sentir que vale a pena amar.

 

....

 

Que fazer?

 

Que volta tenho de dar à minha vida?

 

Por onde começar?

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 13:49

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 24 de Novembro de 2010

...

 

Ultimamente as coisas acontecem de uma forma negativamente surpreendente. No entanto, quero acreditar que sexta-feira, vou tomar café no meu sítio de eleição: o Café Santa Cruz, em Coimbra!

 

Xo, xo forças negativas...

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 19:33

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 3 de Novembro de 2010

...

Qual é a diferença entre o Brasil e Portugal?

 

 

O Brasil tem um palhaço político; Portugal tem políticos palhaços.

sinto-me: com sono
escrito por Eusinha às 00:36

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 31 de Outubro de 2010

É impressão minha, ou...

 

... Portugal é um circo onde os políticos sãos os palhaços?

sinto-me:
escrito por Eusinha às 19:58

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Aplausos...

De pé, aplaudo a grande senhora do teatro, Mariana Rey Monteiro.

 

Neste país, estamos cada vez mais pobres... a cultura está mais pobre.

sinto-me:
escrito por Eusinha às 21:47

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

Max Brix Elisabeth

Conheci-o já lá vão muitos anos. Tantos que já não os conto. Um pouco por culpa do Raul que me falou do Festival Maré de Agosto e, me fez ir até à Ilha de Santa Maria, ou se calhar, um pouco por culpa deste meu gosto pelos artistas e que vai muito para além do espectáculo e do palco.

 

Lembro-me que havia uma discoteca, A Chaminé, e que foi para lá que foram os músicos e a organização do festival.

 

Eu, fui levada pelo Leo e pelos restantes músicos da Tânia Maria. O Max, com aquele seu jeito divertido e amigo de ser, explicava as entranhas da discoteca. Na visita guiada. levou-nos a um espaço vedado ao público. Lá, lembro-me bem, estavam a Tânia Maria, o marido, o Leo e eu.

Ouvimos todas as explicações, questionamos e divertimo-nos.

 

Passaram-se anos sem contacto. Quando nos encontramos, por culpa de um outro festival e de um grande amigo em comum, a amizade renasceu. Acompanhei de longe a luta. Sabia o que se passava. Mas ontem, ao saber que nos tinha deixado, senti-me vazia...

 

Homem da fotografia, amigo verdadeiro, dono de um sorriso fantástico e brilhante, um pai e tanto, fiel aos seus ideais e aos seus sonhos, contador de histórias fascinante,  partiu ontem.

 

A tua família Max, está de luto. Para além deles, a tua ilha, os Açores, o Mundo, as Artes (fotografia, música e teatro), os teus Amigos...

 

Lembrar-me-ei de ti, do teu abraço e do teu sorriso e, sentirei ao longo da vida, o calor da tua amizade.

 

Obrigada, Amigo!

 

Descansa em paz!

sinto-me:
escrito por Eusinha às 13:12

link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. Cansa-me o egoísmo

. Apetece-me dizer um palav...

. Bom dia! E um sorriso.

. Entre partir e ficar

. ...

. OBRIGADA, Bernardo Sasset...

. Cesária Évora - a outra f...

. Breves

. Sentir pena ou vontade de...

. Quereres

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds