Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

...

Apetecia-me. Sim, apetecia-me voltar a escrever, ou voltar a subir a um palco e olhar o público nos olhos, ou simplesmente fechar os meus e deixar que a minha voz aquecesse a sala.

 

Apetecia-me... de verdade, que sim. Partilhar sons e imagens. Receber aplausos e abraços, entre sorrisos e lágrimas.

 

Apetecia-me, pois... mas a inércia tomou conta de mim. Pelo menos por hoje, independentemente de quantas horas tenha este "hoje"... Fui vencida... e deixo-me, assim, ficar.

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 19:25

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Dezembro de 2009

...

Uma boa dose de angústia existencial e uma caixa de Toblerone, união perfeita.

sinto-me:
escrito por Eusinha às 10:57

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 6 de Dezembro de 2009

Acontece que...

 

 

... hoje, sinto-me um cachorrinho abandonado.

sinto-me:
tags: , , ,
escrito por Eusinha às 17:47

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 11 de Março de 2009

Pequena península

 

 

 

 

Sinto-me como uma pequena península, que não é uma ilha, apenas porque está ligada  a um continente por um istmo.

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
escrito por Eusinha às 08:47

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 6 de Dezembro de 2008

...

Simplesmente, apetece-me fazer aquilo que simboliza os fracos: DESISTIR!

 

Positivismos à parte, estou cansada de dar um passo em frente e dez para trás. O esforço é inglório, desgastante e, gera um tumulto de sentimentos inclassificável.

 

Não quero isto para mim. Não foi o que escolhi. Não foi para isto que lutei.

 

 

Simplesmente...

 

 

 

             DESISTO

sinto-me: morta
escrito por Eusinha às 14:07

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 27 de Novembro de 2008

Estou assim... como que vazia

... despojada de sentimentos.

sinto-me:
escrito por Eusinha às 14:48

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 2 de Setembro de 2008

Pressentimento(s)

Sinto que algo vai acontecer na viagem que se inicia hoje à noite. E que esse algo não é positivo. Regra geral os pressentimentos não me enganam.

 

Não consigo explicar, mas parece que forças invisíveis exercem um bloqueio para que a viagem não aconteça. É demasiada tensão.

 

Costumo viajar alegre e sem expectativas. Desta vez não estou a conseguir.

 

Aguardemos, então, o evoluir da situação. Às tantas ainda fico em casa e mando tudo pelos ares...

 

Quando digo tudo é, tudo mesmo. Faço um corte com uma série de coisas, inclusivé planos futuros.

 

Depois sento-me no chão a ver o que acontece...

 

sinto-me: desanimada, sob pressão
escrito por Eusinha às 12:54

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Sábado, 27 de Outubro de 2007

...

 

Hoje, sinto-me particularmente só e triste. Nem me apetece escrever. A cada dia que passa descubro que não conheço as pessoas com quem lido e que esse desconhecimento se estende a mim própria.

 

Chegarei algum dia a conhecer-me verdadeiramente?

 

 

 

sinto-me: só e triste
escrito por Eusinha às 16:39

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007

Amor e desamor

Nunca escondi o que sinto. Nem de ti nem de ninguém.

Suponho que seja exactamente isso que te assusta. Saberes o que sinto e teres medo, sim, medo, de te enredares nos sentimentos e retribuires. Retribuires da mesma forma e com a mesma intensidade.

Não tenhas medo, meu querido. Não devemos nunca ter medo de amar.

Entrego-te todo o meu amor. Não me devolvas desamor.

Não mates o que sentimos com o silêncio, com a ausência e com a distância.

Vive! Sente! Ama!

Quebra o silêncio, mostra-te presente e encurtece a distância.

Faz-me sentir a proximidade de um beijo teu, do teu sorriso ou até mesmo da tua gargalhada.

Volta do nada em que te perdeste, mergulhado na promessa de "amanhã ligo-te, ou se calhar ainda hoje", da qual me deixaste suspensa toda esta semana...

Se demorares muito, não sei se terei a paciência necessária para ficar aqui, á espera.

Cada silêncio que semeias, é um abismo profundo, cavado entre nós...

Será isso que tu pretendes? Afastares-te de mim, daquilo que temos?

Se é, estás a conseguir...

O teu desamor está, com as suas mãos assassinas, a asfixiar todo o meu amor, que sufoca pela falta de ti...

Beijo-te, meu querido, e talvez esta seja a última vez que o faça.

 

sinto-me: triste, magoada, amarga, só
escrito por Eusinha às 19:17

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

.mais sobre o meu "eu"

.pesquisar no meu cantinho

 

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.escritos recentes

. ...

. ...

. Acontece que...

. Pequena península

. ...

. Estou assim... como que v...

. Pressentimento(s)

. ...

. Amor e desamor

.coisas que eu já escrevi

.tags

. todas as tags

.favorito

. De dois em dois o caracol...

. Como irritar o signo de …

. O que alguém escreveu sob...

. Saudade

. Pensamento (meu) sobre o ...

. Paixão Motard

. DEDICADO A TI; AMIGA

. Sinto falta

. Abraço

. Sim...

blogs SAPO

.subscrever feeds